Handmaid's News

Review | The Handmaid's Tale S01E05 - "Faithful"


Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do quinto episódio, S01E05 - "Faithful", da primeira temporada de The Handmaid's Tale.

A infeliz frase Gileadeana "Que possa O Senhor abrir" tomou dois sentidos no episódio que marca a metade da primeira temporada de The Handmaid's Tale. No lado quase literal, June/Offred é invadida sexualmente por não um, mas dois homens: Fred e Nick. Em outro lado, bem mais efemeramente literal, June é permeada, com seus olhos arregalados e brilhantes, por um presente proibido - uma revista do tempo de antes.

A quinta hora desta temporada começa com um jogo de Scrabble muito que aconchegante. Os sapatos de Offred não estão calçados, ela está sentada no chão com uma bebida, e o comandante está vestindo uma camiseta em vez de seu terno formalíssimo. Pela conta deles, foram jogadas 34 partidas a essa altura, e ela sabe cada vez mais sobre ele ao longo delas: incluindo que ele gosta quando ela flerta com ele e que gosta quando a deixa vencer. Desta vez, porém, ele também tem outra coisa para ela - uma revista de moda, que deveria ter sido destruída pelas muitas razões que agora as tornam ilegais. As mulheres não deveriam ler, e esses artigos provavelmente são sobre aconselhamento sobre sexo e carreira e sobre a escolha de roupas que não sejam impostas por um rígido sistema de castas. "Alguns de nós apreciamos as coisas antigas", ele diz, sorrindo, enquanto entrega e diz que, embora definitivamente não sejam permitidas, ela pode olhar enquanto estiver com ele. Ela folheia as páginas, lembrando-se de como lera revistas como estas no aeroporto, enquanto fazia luzes no cabelo. "Agora, todas as modelos parecem loucas, como animais de zoológico sem saber que estão prestes a se extinguir", ela pensa consigo mesma. "Dez maneiras para saber o que ele sente por você. Número um: ele traz para você pequenos presentes."

Outra maneira de saber se ele gosta de você: se o cara fica por aí casualmente em lugares em que você está sentada, sem motivo real para estar lá. Sim, vemos você Nick, vagando na cozinha. Isso é interrompido por Serena Joy, que quer ter uma conversa particular com Offred do lado de fora (enquanto trabalhava na jardinagem - que também era uma paixão da versão em livro de Serena Joy). Não é que ela tenha descoberto sobre o Scrabble ou a revista, ou a esteja mantendo ocupada até que uma van venha para levá-la embora. Ela só tem um pedido. Uma proposta. Offred ainda não está grávida e, como o médico sugeriu na semana passada, talvez o comandante não consiga fazer com que isso aconteça. Então, Serena Joy sussurra, talvez exista outra maneira - outro homem que possa oferecer seus "serviços". E ela tem o cara: Nick, que aparentemente já concordou. E Offred, concorda? Sem surpresa, ninguém perguntou-a.

Serena decide marcar o ato para a mesma tarde porque por que perder tempo, mas antes Offred tem as compras do dia para fazer - e é no mercado que ela vê Ofglen novamente vestindo suas vestes de aia e verificando os produtos como se fossem negócios, como de costume. Em voz baixa, elas se cumprimentam rapidamente - ela está bem, mas não pode lhe contar nada sobre Nick, porque agora ela é perigosa demais para fazer parte da Resistência, que agora sabemos que se chama Mayday.

Antes que ela possa fazer mais perguntas, a nova Ofglen interrompe, e elas não podem mais conversar. A caminho de casa, Ofglen #2 avisa Offred para não estragar tudo por ela. A nova Ofglen dá a Offred uma lição - enquanto June tinha um belo apartamento e uma inclinação pela Antropologia em sua antiga vida, essa Ofglen tinha um vício em drogas e se prostituiu. Agora, aqui em Gilead, porém, ela está "limpa", ela tem um "lugar seguro para dormir" e as pessoas são legais com ela, então não é o mesmo nível de inferno para ela que é para os outros, e ela não quer que o que aconteceu com Ofsteven aconteça a ela.

De volta à casa, Serena Joy pega Offred em seu quarto e elas atravessam o quintal em direção ao apartamento de Nick, acima da garagem. Offred diz a si mesma para se acalmar. "Salvo a possibilidade de prisão violenta, não é nada que eu não tenha feito antes", ela reflete. "Então, como é que desta vez parece que eu estou traindo Luke?"

E por falar em Luke... O flashback desta semana nos dá um recado fofo, quando Moira caminha até Luke esperando na fila de um food truck e pede que ele critique o perfil de June do Tinder. Ele e June começam a se reunir para tomar café e almoçar, e, apesar de Luke ser casado, há faíscas óbvias. Em um desses encontros há menininhas brincando do lado de fora, suas roupas são vermelhas como das aias, isso me deu arrepios. June e Luke brincam sobre conseguir um quarto em algum lugar, mas depois passam de brincalhona para menos brincalhona e depois real, eles conseguem um quarto, uma coisa de "apenas uma vez" que bem sabemos que nunca é apenas uma vez. E com certeza, quando ela pede que ele deixe sua esposa, ele concorda.

Compare esse sexo feliz, apaixonado e consensual com o que acontece no apartamento de Nick - não é a Cerimônia, mas ainda é sem alegria, desajeitado, e acontece com Serena Joy assistindo, perguntando imediatamente depois se ela está grávida e orando sobre a barriga. E depois desse encontro ilícito, Waterford também muda as regras sancionadas pelo Estado em torno de Offred e seu corpo - ele toca sua coxa durante a próxima Cerimônia em plena vista de Serena Joy, e ele olha para ela muito diferente do que jamais fez antes.

Quando ela vai ao escritório dele para adverti-lo, notando que Serena Joy poderia mandá-la para as Colônias ou algo pior, ele responde que acha essa coisa toda da Cerimônia "tão impessoal". Joseph Fiennes, ator que interpreta Fred Waterford, já bem disse em entrevista: "Ele tem uma necessidade desesperada de contato humano, e ele não tem muito com sua Esposa, Serena, então ele encontra esse contato com a pessoa que está lá contra a sua vontade". De volta a cena, Fred a convida para tomar um drinque e balança uma revista na frente dela, as mulheres nunca eram ricas o suficiente, bonitas o suficiente, boas o suficiente. "Tínhamos opções então", diz ela.

"Agora você tem respeito, você tem proteção, pode cumprir seu destino biológico em paz", ele responde. "Filhos - o que mais há na vida?" Quando Offred diz amor, ele sorri com indulgência e traz o exemplo da ex-Ofglen, e como eles a "salvaram" dos "impulsos" que a fizeram fazer "coisas não naturais" em nome do amor. "Toda história de amor é uma tragédia se você esperar o suficiente", diz ele. Offred, sem fôlego e talvez agora apenas entendendo completamente o que aconteceu com sua amiga, levanta-se e o comandante oferece essa racionalização pelas coisas que aconteceram:

"Só queríamos fazer o mundo melhor.", ele diz a Offred.

"Melhor?" Ela pergunta de volta.

Bem, não exatamente. "Melhor nunca significou bom para todos", ele admite. "Sempre fica pior para alguns."

Outro dia em uma feira ao ar livre, Offred encontra um momento para se encontrar em silêncio com a nova Ofsteven/antiga Ofglen e pede desculpas pelo que o governo fez com ela. Ela responde que o Mayday não pode mais usá-la, mas que Offred poderia ajudar - eles estão lutando contra o governo em Gilead. Offred continua a chamá-la de Ofglen, mesmo que esse não seja mais o nome dela e nunca tenha sido o dela para começo de conversa. "Meu nome é Emily", diz ela, recuperando a parte essencial de si mesma e fazendo uma pergunta simples, porém muito bem feita: "Quem é você?" Antes que Offred possa responder, sua parceira a afasta. Desanimada, Emily rouba um carro. Dirigir, não é mais algo que as mulheres fazem, tornaram até isso ilegal, atropelando um guardião e, em seguida, não vendo como sair do que está, acelera e avança, matando-o.

O que vai acontecer com ela agora? Definitivamente não pode ser bom. Mas Offred vê isso como um sinal de que sua amiga não deixou os idiotas a desanimar, apesar do que ela passou. "Eles não conseguiram tudo. Havia algo dentro dela que eles não podiam tirar", ela pensa consigo mesma. "Ela parecia invencível." Ela também pensa no Mayday e em como Luke uma vez lhe disse de onde veio: a frase francesa m'aidez. "Ajude-me".

E então ela vai sozinha até a casa de Nick, tira o chapéu branco e literalmente solta os cabelos antes de despi-lo e depois despir-se. Sexo estranho e apaixonado. Ela não está correndo de carro e atropelando guardas, mas parece um passo em direção à sua própria declaração de independência.