"Sons Of Jabob/ Os Filhos de Jacó" são o grupo conspiratório que idealizou a filosofia e estrutura social para uma teocracia patriarcal autoritária e orquestrou a ascensão da República de Gilead.

Antes de Gilead

Na série de TV

Um representante local dos Filhos de Jacó conta ao The Boston Globe em uma entrevista que ele leu sobre a comunidade em um grupo do Facebook e entrou nela porque queria ajudar "as crianças", "tirá-las de gangues e de suas famílias pecaminosas".

Andrew Pryce, outro membro do grupo que recruta Nick para a organização, culpa a cultura pré-Gilead dos Estados Unidos, que ele considera pecadora, pela crise de fertilidade em curso e descreve sua organização como um "grupo que quer acertar as coisas" e "limpar este país". Ele menciona que o grupo tem representantes em trinta estados e que ele é o líder de um deles. Alguns membros parecem até acreditar estão "fazendo o trabalho de Deus" para "tornar o mundo melhor", admitindo que "'melhor' nunca significa melhor para todos, sempre fica pior para alguns".

Na segunda temporada, quando fica nos antigos escritórios do The Boston Globe, por meio de investigações em matérias de jornal publicadas antes de Gilead, June descobre sua estrutura de poder militarizado real, bem como o plano de restringir os direitos civis para tomar o poder em um regime totalitário, mas também que esse "grupo antiquado gera novas esperanças na população mais popular por sua propaganda religiosa"

Os Filhos de Jacó são administrados por uma junta chamada "Comitê", que "emitiu as ordens" para três supostos ataques terroristas.

O governo dos EUA parece simpatizar com algumas ideias do grupo, uma vez que eles proíbem vasectomias e têm maridos aprovando prescrições de métodos contraceptivos. Isso também pode sugerir que o grupo tinha membros infiltrados no governo, o que poderia ajudar a explicar o "sucesso" dos eventos.

Antes dos ataques, o FBI estava se aproximando de alguns dos conspiradores.


Golpe de Estado