Handmaid's News

Particicution


A particicution ou partição é um tipo específico de execução ou "Salvamento" em Gilead. Envolve a execução realizada por um grupo de aias que geralmente são obrigadas a participar desse evento. A palavra em si - particicution - é uma junção das palavras 'participação' e 'execução'.

Normalmente, são executados homens condenados por crimes como estupro ou outras formas de violência contra aias, como isso torna mais pessoal para as aias.

Na particicution destaque no livro, o homem condenado é acusado de estuprar uma aia grávida, resultando em aborto espontâneo. Dito isto, é revelado que o homem era de fato um membro da resistência do Mayday, sugerindo que o governo permite que traidores e rebeldes sejam executados sob falsas acusações, de modo a incitar as aias à violência.

Durante a particicution, as aias são autorizadas a usar qualquer meio que desejem para matar os condenados, embora, como não lhes são permitidas armas, elas devem usar suas próprias mãos. O condenado é frequentemente espancado até a morte ou despedaçado pelas aias. Elas são encorajadas a dirigirem-se em um frenesi e está implícito que as aias, a exemplo de June na primeira temporada, usam particicutions como uma saída para a raiva reprimida e luto pela perda de liberdade e direitos. As particicutions são aparentemente incomuns, já que Offred só participou de uma delas.

Nas versões do livro e do filme, a particicution acontece diretamente após a Salvação de uma mulher e, portanto, é observada pelas Marthas, esposas e econopeoples presentes; na série de TV, é um evento fechado e somente as aias o assistem.

De acordo com o epílogo do romance, o professor Pixieto - liderando uma conferência sobre o estudo de Gilead - declara que sua pesquisa rendeu o fato de que o Comandante Waterford foi o cérebro por trás da invenção das particicution.

Caso o player não funcione, clique no título do vídeo.

Leia notícias sobre em The Handmaid's Tale Brasil