Handmaid's News

The Handmaid's Tale referencia Hitler no episódio final da terceira temporada


A vida real sempre será mais sombria do que qualquer obra de ficção

Logo no começo de "Mayday", último episódio da terceira temporada de The Handmaid's Tale, nos foi apresentado mais um flashback, esse bem do comecinho de Gilead, ali June conhece Janine e vê de relance Brianna, que mais tarde se tornam recorrentes na vida dela, se encontrando rapidamente nas saídas para as compras.

O flashback também mostrou como Gilead eliminava as pessoas com alguma deficiência, no caso, síndrome de Down. Vários jovens são empurrados para um caminhão. É inevitável não fazer comparações com o mundo real. Na Alemanha nazista de Hitler, a arte imita a vida.

Cerca de 200.000 deficientes foram assassinados pelos nazistas entre 1940 e 1945, logo ali, 70 anos atrás. Adolf Hitler autorizou o início do programa de "eutanásia", ou seja, o extermínio sistemático de alemães [arianos] que os nazistas consideravam como "indignos de viver", fossem eles adultos, velhos ou crianças. A ordem de execução do programa veio antes da Guerra (1º de setembro de 1939). A princípio, os médicos e enfermeiros dos hospitais alemães foram encorajados a negligenciar seus pacientes. Desta forma, vários morreram de inanição ou doenças.

Algum tempo depois, grupos de "consultores" passaram a visitar os hospitais e clínicas decidindo quem deveria viver ou morrer. Os "escolhidos" para serem eliminados eram enviados para vários centros de extermínio do programa de "eutanásia" e executados com injeções letais ou em câmaras de gás.

Caso o player não funcione, clique no título do vídeo.