Handmaid's News

Review | The Handmaid's Tale S02E12 - "Postpartum"


Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo segundo episódio, S02E12 – “Postpartum", da segunda temporada de The Handmaid's Tale.

O episódio anterior de The Handmaid’s Tale deixou entregue o destino de June e Holly, as luzes dos faróis que adentravam a casa e iluminavam o rosto da mãe com a recém-nascida indicavam que voltariam para Gilead. Em “Postpartum” temos passos fortes e portas batendo para avisar que Gilead venceu. Mas não é o fim, várias armadilhas estão esperando para desarmar. Depois de vários episódios, finalmente conseguimos um tempo significativo com Emily, e vários personagens tomam destinos inesperados.

O episódio começa com os sons de um bebê sendo lavado em água limpa e uma luz suave, uma cena idílica. De quem é este bebê? Sim, é Serena Joy. Ela está radiante de felicidade, brilhando em seu sonho realizado de finalmente segurar um bebê. Mais uma vez, o papel das aias, aqui June, na criação do bebê é apagado com a mudança de nome pelos pais adotivos. “Deus te abençoe, meu anjo. Minha doce Nichole". Holly tinha o charme da conexão com a mãe de June, enquanto Nichole soa até genérico. Se há um lado positivo nisso, Serena é muito mais terna e fisicamente conectada a Holly/Nichole do que Naomi Putnam era com Charlotte/Angela, a filha de Janine.

A cena plena e doce parte para o perfeito corte cinematográfico de June bombeando seu leite em potes quase vazios na luz cinzenta e estéril de um dormitório vazio do Centro Vermelho sob a supervisão de várias tias. Serena, fiel à sua palavra, não está deixando a aia amamentar sua filha. June lembra a Tia Lydia que prometeu proteger seu bebê, Tia Lydia responde que "não se pode deixar que o perfeito seja inimigo do bem". É chocante e irônico ouvir uma fanática dizer essa frase.

A boa notícia é que Nick sai ileso após seu encontro violento com os Guardiões, dois episódios atrás. No entanto, não são revelados detalhes sobre como ele lidou com a situação. Fred, sempre exaltando sua masculinidade, não pode resistir a humilhar os dois outros comandantes que ele realmente não precisa de um escritório tão grande. Depois que os dois homens saem, Fred faz Nick pendurar um retrato de família dos Waterford com a bebê de June e Nick. Nenhuma ameaça direta é trocada, mas a intenção de sua conversa profundamente codificada é minar Nick.

Na igreja, o encontro de June com Holly é promovido para June amamentar espontaneamente. Pela primeira vez, Tia Lydia faz algo de bom ao negociar por June retornar à casa dos Waterford. Mas esse pequeno ponto é ganho com base no valor material de June como um uma vaca para ser usado apenas seu leite. É o único momento em todo o episódio em que vemos Fred segurando Nichole. Quando Fred reencontra mãe e filha, "Nichole, essa é Offred", ele atribui June como a aia Offred, não sua mãe. É interessante notar que ele nunca diz “papai está aqui", ou mostra qualquer conexão física com a bebê. Serena não diz nada sobre June voltar para casa para dar leite a bebê, por mais furiosa que esteja. Serena não tem o poder de manter June longe, então ela usa seus velhos truques, sua pequena quantidade de poder para deixar June infeliz, não permitindo que tenha contato com a bebê.

Finalmente depois de quase toda uma temporada, Bradley Whitford. Tia Lydia diz a Emily: “Suas chances estão acabando. Você deve se comportar.” Mas Emily já foi enviada para as Colônias. O que mais eles podem fazer com ela? Elas entram na casa de sua nova missão, uma mansão avermelhada. Seu novo Comandante é Joseph Larwence, o mentor econômico por trás de Gilead, em uma aparição há muito esperada de Bradley Whitford. Talvez ele explique como sua economia funciona agora que todas as grandes corporações americanas parecem ter desaparecido, mas isso não acontece neste episódio.

Emily ainda tem dificuldade em dizer o que os outros querem ouvir, ponderando em voz alta: "Eu estou pensando, por que um homem tão importante e brilhante aceitaria uma aia tão ruim." A Martha que as recebe tem uma ‘boca suja’, a primeira pista de que há algo de errado nessa casa. A segunda é que há um Basquiat na parede. A maior parte das artes nas casas dos Comandantes em Gilead é de antes do século 20 e se inclina para paisagens, retratos e temas aristocráticos referentes a sua própria cultura. A boca da Tia Lydia se abre como nunca. Esta é uma casa com um talento especial para receber conservadores. O melhor de tudo é que o comandante Lawrence empurra bruscamente a Tia Lydia para fora, como se não fosse bem-vinda.

A coleção de obras da casa de Lawrence é cheia de Easter Eggs do mundo da arte: dois Basquiat, além de obras no estilo reconhecível de O'Keefe, Matisse, Cézanne. Se Gilead cair algum dia, a coleção de arte do Lawrence fará uma boa base para a reconstrução de um dos belos museus dos Estados Unidos.

Voltando para os Waterford, em tempos normais, uma garota como Eden estaria no shopping, não casada com um estranho. Eden sumiu depois de uma breve conversa sobre amor com June na noite anterior. A única mudança perceptível nela desde o confronto com Nick está em seu guarda-roupa: o corpete camponês e a blusa de mangas bufantes esta semana é mais definidora de figuras do que os aventais que já vimos antes. Nick e June tiveram seu primeiro momento sozinhos desde que a bebê nasceu, e divertidamente pensam em fugir para o Havaí juntos. Eles estão prestes a se beijar quando são interrompidos pelo comandante Waterford.

Eu sinto muito, parece que Eden e Isaac fugiram juntos, mas essa é a menor das preocupações de Serena: apesar de um suprimento de leite abundante, Holly/Nichole não para de reclamar. Serena tenta calar a criança oferecendo seu seio. A criança trava e se acalma por um momento, e Serena está no céu por se fazer de mãe à enfermeira. Mas então a bebê se afasta em desapontamento e começa a gritar novamente, Serena se desculpa, impotente ao tentar acalmá-la. Serena é um monstro. Mas a presunção aqui é que nada além do leite materno da mãe biológica pode acalmar a criança.

Em meio a conversas noturnas, o comandante Waterford fala a June que espera que ela seja grata a ele por realizar a visita a Hannah e por querer estar em sua companhia. É notável a rapidez com que eles estão deixando de lado o fato de que ele a estuprou. Pelo menos, ela parece estar ficando melhor em manipular Fred, sugerindo que eles poderiam retomar seus antigos jogos de Scrabble.

A jornada de Emily no episódio é uma turnê gótica, com papel de parede amarelo queimado ao fundo, levando ao primeiro vislumbre de uma aparência fantasmagórica no espelho do quarto de Emily. A Senhora Lawrence exige o nome verdadeiro de Emily e parece ser mais simpática do que outras Esposas de Gileade. Com o rosto sujo e os olhos arregalados, ela diz a Emily: "Não diga a Joseph que eu entrei. Ele não gosta quando eu falo com as garotas". Meninas? Eu ouvi no plural? As aias desaparecem desta casa excêntrica?

Ela está ansiosa para falar o papel do marido em transformar as pessoas que foram dispensadas de Gilead em uma força de trabalho escrava descartável para lidar com o problema do lixo radioativo: “As colônias. Ele planejou tudo. Ele entendeu tudo. E eu disse: 'Pessoas reais estão cavando aquela sujeira’.” Quando Lawrence as encontra, ela grita para ele: “Você é um monstro! Você é nojento! Eu te odeio!” Ela é a primeira Esposa não cúmplice que vimos até agora e isso a destruiu. Qualquer Esposa que se opusesse a Gilead ou usaria seu privilégio para escapar, seria mandada para as Colônias ou morreria resistindo.

Para provar de vez a excentricidade dos Lawrence, um encontro com direito a bebida. “A vida não saiu do jeito que ela queria. Ela era professora de arte e queria que tudo fosse lindo”, Lawrence diz a Emily na sala de jantar. Um homem excepcionalmente contundente, ele sabe tudo sobre a vida e os crimes de Emily, sua carreira acadêmica, sua família perdida e a retirada de seu clitóris involuntariamente. Ele está interrogando Emily.

Eden fugiu com Isaac, mas Nick, sentindo-se culpado pelas vezes em que poderia ser mais gentil com Eden, está lutando por maneiras práticas de salvá-la, mesmo que ela seja um fardo para ele. Eden, uma verdadeira crente de Gilead, tem o arco mais surpreendente da temporada até agora. Ela parecia ser uma ameaça para June e Nick, quando o tempo todo ela estava lutando para viver sua verdade. A vida que tanto queria só a machucou e a levou ao desagradável Isaac: “Eu amo Isaac e ele me ama, nós queremos ficar juntos.” Ela tinha algum amor por ele, mas também é uma garota de quinze anos de idade, com pouca informação, fugiu com o primeiro menino que a beijou.

O clipe de um homem e uma mulher se afogando causou muita especulação quando o trailer da segunda temporada foi lançado: quem era o casal na piscina? Agora sabemos: é Isaac e Eden. Isaac é um idiota que deu uma coronhada na cara de Janine, foi rude com June e Rita, e era ainda menos atraente pelo que vimos dele. Mas ele e Eden estavam apaixonados. Seu rosto é a última coisa que ela vê quando a última bolha de ar escapa de seu nariz.

Os pais de Isaac e Eden estão sentados perto dos Waterford na execução. Serena está soluçando enquanto assistem ao afogamento. Ela viu uma bela jovem, uma criança, morrer e deve estar apavorada com o que o futuro reserva para Nichole. Mas Serena ainda não percebe seu papel no estupro, qualquer evolução de sua parte sempre levou a um retrocesso duplo.

De volta a casa, é extraordinário que June peça à mulher que a segurou para ser estuprada algumas semanas antes, se ela está se sentindo bem, mas é o que faz. Serena responde, enigmaticamente, com um versículo da Bíblia antes de finalmente deixar June amamentar Nichole/Holly.

Talvez a chave aqui seja que June é cautelosa na conversa com Serena. Há mais um dos sinais de evolução de Serena, onde ela responde positivamente a um gesto simpático da aia, em vez de mandá-la de volta para seu quarto. A mudança de atitude de Serena é reflexo de seus sentimentos pela bebê e pela ideia de maternidade, não por qualquer admissão da humanidade de June ou pelo reconhecimento das injustiças que June sofreu. Não há garantia de que ela não acabará tendo uma reação previsivelmente severa instantes depois, já vivemos isso antes.

Texto escrito para The Handmaid's Tale Brasil, reviews sempre as quartas, mesmo dia da entrada do episódio no catálogo do Hulu. Então, você percebeu algo que não está esclarecido aqui nessa review? Tem algo a acrescentar? Comente abaixo sua opinião sobre o episódio.


Adblock Detectado

Você gosta desse conteúdo? Então nos ajude desativando o Adblock

Você pode desativar o seu adblock só em nosso domínio, ajude-nos a continuar levando conteúdo relevante para você :)

Muito obrigado, The Handmaid's Tale Brasil

×