Handmaid's News

Saiba o que as mulheres tanto cavam nas Colônias


As Colônias, além do papel ambiental, são uma espécie de punição

A primeira temporada de The Handmaid's Tale expôs o mundo que Margaret Atwood estabeleceu em seu romance de 1985 com detalhes precisos e horripilantes. Mas a partir da segunda temporada, The Handmaid's Tale oficialmente saiu do roteiro. Em vez de aderir ao enredo do livro de Atwood, os escritores estão usando o mundo de Atwood como um cenário rico no qual enredos totalmente originais (e totalmente perturbadores) podem se desenrolar.

"Agora que somos capazes de nos afastar do material original, obviamente, estamos explorando as Colônias", disse Samira Wiley, que interpreta Moira, à Refinery29. “Isso não é bonito. Não é um lugar divertido. É um lugar escuro.” Isso pode ser apenas o eufemismo do ano. As Colônias são um local de extrema subjugação, e também são a manifestação de um dos princípios orientadores de Gilead: os corpos das mulheres devem ser usados.

Fomos apresentados pela primeira vez ao deserto árido e radioativo que são as Colônias no episódio “Unwoman/Não-mulheres". Emily é uma das mulheres de roupas escuras, trabalhando em uma paisagem amarelada e empoeirada. Algumas mulheres, como Emily, usam pás para cavar o solo em sacos com símbolos radioativos. Outras usam enxadas para quebrar a terra rachada. As mulheres param, brevemente, para uma oração conjunta.

Ostensivamente, a mulher está removendo terra contaminada do local para tornar a terra adequada para o cultivo novamente. O que é realmente tóxico é a terra superficial. Depois da retirada esse lixo tóxico é colocado em grandes profundidades, como cavervas, o mesmo que é feito com o lixo radiotivo atualmente. Em The Handmaid's Tale, como a poluição é responsável pelo problema global da infertilidade, uma das principais missões da Gilead é desfazer o dano ambiental para produzir nascimentos mais bem-sucedidos. Nos últimos três anos, Gilead passou a cultivar culturas exclusivamente orgânicas e reduziu com sucesso as emissões de carbono em 78%. A iniciativa parece ter funcionado - enquanto as taxas de natalidade em outros países despencaram, Gilead produz consistentemente bebês saudáveis.



A causa real da decadência ambiental nas Colônias permanece vaga, como grande parte da história de Gilead. O que é incrivelmente claro, no entanto, é que as Colônias não são adequadas para a vida humana. As trabalhadoras das Colônias são completamente judiadas por essa paisagem. Embora usem lenços de cabeça e luvas, os poluentes no ar e na terra ainda danificam seus corpos. Manchas e feridas são causadas pelos poluentes que flutuam no ar e pousam na pele das mulheres. Os dentes caem, as unhas se desprendem. Elas trabalham e morrem. Apenas as tias têm proteção da poluição com suas máscaras de gás.

O objetivo oficial das Colônias no papel é restaurar uma paisagem radioativa. Mais significativamente, porém, as Colônias existem como lixões para aqueles considerados impróprios para a sociedade de Gilead - uma população também conhecida como “Unpeople”. O que constitui uma não-pessoa? Aqui estão alguns crimes dignos de uma Colônia: Emily foi enviada para as Colônias por roubar um carro e atropelar um Guardião; Janine foi enviada para as Colônias por tentar tirar sua vida e a vida do bebê; a esposa (Marisa Tomei) foi enviada às Colônias por trair seu Comandante. As Colônias também abrigam mulheres idosas, aias que não conseguem conceber filhos e traidoras do gênero.

Segundo a descrição de Moira, no livro, homens também são mandados para as Colônias. "Eu diria que cerca de um quarto da Colônia é composta por homens. Nem todos as traidoras do gênero acabam na Muralha", diz ela. Mas isso talvez seja outro aspecto em que o programa tenha se desviado do livro. Na série, parece que os homens são automaticamente enforcados por seus crimes, algumas mulheres - como a amante de Emily - são enforcadas, e a maioria é enviada para as Colônias.

Por mais que tente, Gilead não pode matar todos os seus cidadãos. Surpreendentemente, a paisagem depravada das Colônias também é o cenário para alguns dos exemplos mais evidentes de afeto em The Handmaid's Tale. Uma vez que as mulheres voltam para seu alojamento depois de um dia no campo, elas suportam tudo isso espiritualmente amparando uma a outra. Emily enfaixa as feridas de suas amigas e prepara um chá de hortelã do jardim. Ela ainda tem energia para fazer piadas. A força e dignidade das mulheres em face de tal tortura é um dos pontos mais otimistas e mais dolorosos da temporada.