Handmaid's News

The Handmaid's Tale explora o passado de Nick como aliado de Gilead


O mundo de June mudou permanentemente

Embora grande parte do episódio 6, "Household", da terceira temporada de The Handmaid's Tale centra-se na política enquanto June e os Waterford estão em Washington, também culmina em uma revelação que é profundamente pessoal. Quando Gilead pede à Suíça para atuar como uma parte neutra e negociar com o Canadá o retorno de Nichole, June tenta sem sucesso negociar a segurança de sua filha em uma reunião com as autoridades suíças.

Mais tarde, uma diplomata faz uma aparição surpresa na casa onde June e os Waterfords estão hospedados. A diplomata não está lá para oferecer ajuda a June, mas para explicar por que os suíços não sentem confiança em Nick, que June esperava usar como fonte de informações. Aqui, June descobre pela primeira vez que Nick era um soldado na cruzada, uma revelação que a esmaga.

"Nós vimos um pouco da indução de Nick, sabemos que ele era uma alma perdida, mas claramente, há lacunas", explica o produtor executivo Warren Littlefield ao Harpers Bazaar. "O que revelamos aqui é que Nick tinha uma arma, mas era muito mais ativo do outro lado [do que June sabia]. É horrível para June e para o público, porque amamos Nick! Mesmo quando ele está vestido com esse traje preto, temos um fraco por ele."

A verdade sobre Nick foi discutida em profundidade na sala dos roteiristas, acrescenta Littlefield. "Esse momento foi muito debatido, mas acho que se trata da questão de quem são essas pessoas e, em termos situacionais, como elas reagiram. Não é isso que a guerra faz? Não é isso que esses regimes fazem às pessoas? Até mesmo alguém que é amado, às vezes precisa fazer algo que não é amável." 

Continua após a publicidade


O livro, bem como a primeira temporada da série, pincelou um pouco desse passado, ainda que brevemente. Nick era um "vagabundo" que foi recrutado pelo Comandante Pryce, mas ali, é só mencionado que ele ajuda de alguma forma a erguer Gilead do jeito que é hoje.

"Nick é um bote salva-vidas para June", diz Littlefield. "No meio desta zona de guerra, existe essa ilha de esperança, amor e decência. Eles - e nós, como público - foram completamente envolvidos pelo que eles significam um para o outro. Eles precisam um do outro nos momentos em que estão juntos, e são momentos tão preciosos que, quando estão juntos, não vivem no passado".

A casa dos Waterfords, incendiada na estreia da temporada, foi o começo de um doloroso despertar para June, diz Littlefield. Apesar da crueldade a que era regularmente submetida pelos Waterfords, o espaço físico também representava uma espécie de segurança profundamente ligada a Nick. "Apesar de estarmos em uma zona de guerra, essa zona de guerra foi vivenciada pela majestade e beleza da casa de Waterford", diz Littlefield. Com o fogo, sua desilusão com Serena e agora sua descoberta dolorosa sobre Nick, o mundo de June mudou permanentemente.