Handmaid's News

Figurinista explica trajes diferenciados de Washington em The Handmaid's Tale


A figurinista busca inspiração em pinturas cristãs

Natalie Bronfman, a figurinista da terceira temporada de The Handmaid's Tale, sempre posta em seu Instagram o significado de suas contribuições na série, a maioria é inspirada em pinturas cristãs dos séculos passados, sempre com algum significado que venha a agregar conteúdo para a série em uma sociedade tão horrível como Gilead pode ser.

"As tias em Washington. O tecido em volta da cabeça das tias em Washington é baseado nas coberturas de uma freira. Neste caso, suas bocas não são cobertas, mas seu cabelo e pescoço, que é considerado uma parte muito sensual de uma mulher que, na verdade, não é para os olhos do público em Gilead. Elas são, de fato, a polícia feminina que ordena, portanto precisam de suas bocas livres. A inspiração para isso veio da pintura de Albrecht Dürer, Virgin and Child with Saint Anne, 1519" disse ela em um post na rede social.

Albrecht Dürer: Virgin and Child with Saint Anne, 1519
"Anatomia do silenciamento das aias. A inspiração original veio da pintura La Monaca di Monza, de G Meltoni, em 1847. Na pesquisa, tivemos que levar algumas coisas em consideração. Um, era como diminuir ainda mais a pouca expressão física externa que elas tinham (fala) na sociedade, e dois, como instilar ainda mais medo. Ao colocá-la abaixo do nariz, ela ainda permite alguma expressão. Também cobriria os outros pedaços de pele existentes que foram deixados expostos, tornando-as verdadeiramente apenas uma embarcação para o nascimento. As fechos são ganchos de casaco de pele."

Continua após a publicidade


Nos comentários, ela explica o questionamento de como as aias silenciadas em Washington fariam a alimentação e a higiene bucal com três argolas fechando sua boca, essas são como piercings removíveis, possibilitando assim a retirada para essas necessidades básicas.

G Meltoni: La Monaca di Monza, 1847