Handmaid's News

Margaret Atwood fala sobre "The Testaments" e anuncia que a capa será divulgada em breve junto com newsletter

Foto: Reprodução/ Getty
A sequência de O Conto da Aia deve estrear em setembro de 2019

No finalzinho de 2018, Margaret Atwood concedeu uma entrevista ao Los Angeles Times quando foi homenageada pelo Equality Now, uma organização "para a proteção e promoção dos direitos humanos de mulheres e meninas em todo o mundo".

Na entrevista ela deu detalhes da continuação do livro The Handmaid's Tale - O Conto da Aia, segundo ela, a capa de "The Testaments" será divulgada em breve junto com uma newsletter sobre o livro, antes dele ser lançado em setembro desse ano.

Parabéns por ser homenageada pelo Equality Now

Sim, estou sendo honrada, mas realmente estou ajudando-os a levantar dinheiro. Eles lutam pelos direitos das mulheres, e esse é o tipo de feminista que eu sou. Eles se baseiam na Declaração Universal dos Direitos Humanos, que todos deveriam ler e ler porque se esqueceram disso. São ativistas reais, é o que fazem todos os dias. Eu não sou um ativista real. A diferença entre eles e eu é que eu sou apenas uma pessoa que não tem um emprego, então pessoas como eu têm o privilégio de falar, porque ninguém pode demiti-las.

The Handmaid's Tale teve um ressurgimento da popularidade, desde a adaptação da série Hulu até o uso das roupas de aia em manifestações políticas. Por que escrever uma sequência?

Isso é fácil de responder. Número um, é prazeroso. Mas essa é uma resposta muito rasa. Número dois, tenho sido perguntada de várias questões pelos leitores há 35 anos. "Oh, vamos lá, Margaret!" Então é hora de abordar algumas das solicitações. Não é uma continuação que começa cinco minutos depois que o livro termina e então eu lhe digo o que acontece a seguir. Acontece 15 anos após o fim do livro. [Eu tive a ideia] nos últimos cinco anos ou mais. Estou quase terminando.

Seu anúncio do livro disse que é inspirado pelo "mundo em que vivemos". O que você quis dizer?

A notícia se tornou muito mais extremada. E quanto a essas pessoas em Ohio que estão dizendo que a maternidade deveria ser obrigatória? Eles ainda não fizeram isso, estão falando sobre isso. Mas quando as pessoas falam sobre coisas assim, sendo da minha idade, lembro-me que Hitler disse tudo em "Mein Kampf" e depois o fez. Se eles tivessem o poder, eles fariam isso. Essas ideias foram tentadas antes. O que eu estou dizendo, claro, é que temos nossos rostos atolados contra a janela de vidro, olhando para o nosso país. Que tipo de coisa farão a seguir? O que vai acontecer a seguir? Eu nunca vi nada parecido. Por um lado, é apenas fascinante e, por outro lado, é bastante chocante.

Qual é a chave para qualquer sequência de sucesso, mesmo que seja mais de 30 anos depois de uma edição anterior?

Quem sabe? Vamos ver se funciona. Mas eu fiz a trilogia "MaddAddam", então acho que isso é verdade para qualquer invenção mundial: você tem que ser consistente com seus próprios axiomas.

Eu não vou dizer mais [sobre "The Testaments"]. Você não pode me arrancar isso. Eu posso te dizer que [meus editores] têm uma capa, e eles lançarão isso logo. E vão lançar uma newsletter para o qual as pessoas podem se inscrever. Provavelmente serão coisas como: "Levantei esta manhã, tomei um café, fiz algumas cópias..." Coisas que você realmente precisa saber. Essa é a ideia deles, que é como um diário. "Agora está na impressora e eu recebi de volta, e havia 115 erros tipográficos!" [Risos] Bem, isso não vai acontecer.

Você está ativa no Twitter, o que pode ser esmagador com nosso atual ciclo de notícias, bem como com as perguntas do leitor. Como você GERENCIA?

Eu não consigo ler tudo. Não é humanamente possível. Eu tenho regras, mas como todo mundo, não necessariamente as obedeço. "Agora vou para a cama" nem sempre é uma auto-advertência para a qual eu vivo. Eu adoraria ter um horário que eu realmente prestasse atenção.