Handmaid's News

Ane Crabtree, a estilista de The Hadmaid's Tale fala que as aias poderiam ter lenços escondendo o rosto e mais


São decisões como essa que pesam muito para o sucesso, ou não, de uma série

As impressionantes roupas vermelhas e toucas brancas de The Handmaid's Tale tornaram-se a assinatura da série, representando mulheres que tiveram seus direitos civis básicos removidos.

Em um painel da série no Producers Guild of America’s 2018 Produced By Conference ontem (sábado), a figurinista Ane Crabtree revelou que a roupa das aias inicialmente incluía lenços na cabeça porque a equipe queria encobrir o rosto de Elisabeth Moss.

Depois de experimentar os lenços, porém, Crabtree disse, “parecia uma série antiga e eu apenas em silêncio, sem ter aprovação, fiz cinco toucas, levei para Lizzie [Moss] para ela experimentar e disse: 'Eu vou filmar com meu iPhone virando seu rosto contra a câmera". Porque ela é Lizzie e tem mágica no rosto, era a coisa certa a se fazer. Foi assustador. Ela também falou sobre encontrar a cor vermelha certa para as roupas das aias, algo que se mostrou difícil porque tinha que “combinar com todos os tons de uma pessoa, de uma mulher”. Eventualmente, ela encontrou a cor certa, antes de perceber, "é a cor do sangue, que é uma cor natural, e isso se tornou uma linda metáfora".

Bruce Miller, produtor e showrunner disse que as roupas, particularmente as toucas brancas, trouxeram algo a mais para o elenco, onde a produção teve que aprender a manipular o quanto de seus rostos deviam ser mostrados a câmera para o efeito emocional e dramático necessário. No início, porém, ele admitiu que as toucas causaram alguns desafios, lembrando: “Alexis Bledel e Elisabeth estavam nas primeiras cenas aprendendo a se comportarem como aias e não conseguiam nem ouvir a fala da outra porque estavam tão irritadas para acertar o ângulo com a câmera. Mas elas realmente aprenderam a usar o guarda-roupa para fins dramáticos e eu acho que é uma das melhores coisas da série”.

O produtor executivo Warren Littlefield, a vice-presidente de desenvolvimento de conteúdo do Hulu, Beatrice Springborn, e a diretora de elenco Sherry Thomas também participaram do evento, onde o discutiram a escolha de um grupo diversificado de atores para a série.

Moss foi escolhida para interpretar June antes do resto do elenco, disse Thomas, a partir daí, “foi completamente daltônico depois de Elisabeth. Se você voltar e olhar para nossas escolhas, cada papel era de qualquer etnia, o que foi muito excitante para nós. Nós não decidimos que Moira [interpretada por Samira Wiley] seria afro-americana, nós não decidimos que OT [Fagbenle, que interpreta Luke] seria quem ele é, nada disso. Foi apenas juntar as peças do quebra-cabeça e, em seguida, tudo saiu do jeito que aconteceu, como o mundo em que vivemos.”

Embora no livro, pessoas de cor tivessem sido banidas de Gilead e não tivessem permissão para participar da nova sociedade, Littlefield disse que era importante para a série de 2017 reverter isso. "Parece loucura para nós, se seguirmos o que você [Margaret Atwood] fez no livro 35 anos atrás." completa o produtor.

Miller também brincou que quando se trata do elenco, ele tem uma política de não escolher artistas que considere 'babacas' para trabalharem em The Handmaid's Tale.