Handmaid's News

15 Motivos para ver The Handmaid's Tale


A segunda temporada de The Handmaid's Tale está chegando. Por isso selecionamos 15 Motivos para ver The Handmaid's Tale. Veja o trailer da primeira temporada abaixo:



1º - Elenco

O conjunto do elenco foi bem escolhido, há artistas experientes, mas também novatos bem preparados. Cada ator e atriz se encaixou muito bem a cada personagem dado em The Handmaid's Tale. Samira Wiley (Moira), por exemplo, já tinha um papel importante dentro do movimento feminista há um bom tempo.

2º - Tem Elisabeth Moss

O rosto de Elisabeth Moss foi conhecido por anos como Peggy em Mad Man, depois de várias indicações e uma curta passagem por Top Of The Lake, ela chega a The Handmaid's Tale como June. Ela parece ter um carinho a parte com a personagem, que nos transmite muito drama sem nem ao menos falar.

3º - Tem coadjuvantes incríveis

Se não bastasse elenco principal de qualidade, a série do Hulu reserva boas atrizes também para papéis coadjuvantes, a exemplo de Ann Dowd (Tia Lydia), que foi premiada pelo Emmy, além de Yvonne Strahovsky, Alexis Bledel e Madeline Brewer.

4º - É uma distopia

Apesar de Margaret Atwood não gostar do envelopamento de The Handmaid's Tale como distopia, a relação é inevitável, aqui o sofrimento e a revolução são a base de uma boa contação de história que foca nos problemas de um mundo distópico sem amenizar suas durezas.

5º - Material original

Baseada na obra original de Margaret Atwood, a série do Hulu é um drama nunca antes visto. Apesar da segunda temporada já não se basear no livro, a obra é inteiramente inovadora, salvo referências a outras obras.

6º - Trilha sonora

Se não bastasse Lesley Gore, Bob Marley, Simple Minds e Kylie Minogue com músicas na série, Adam Taylor foi o escolhido para criar a arrepiante trilha sonora de The Handmaid's Tale, que está disponível nas plataformas de streaming.

7º - A série ganhou vários prêmios

A série ganhou mais de 15 prêmios, incluindo dois TCA, oito Emmy, dois Globos de Ouro, três Critics' Choice, ainda concorrendo a SAG Awards e Writers Guild Awards. Levando todas as premiações nas categorias de "Melhor Série Dramática" e "Melhor Atriz Série Dramática: Elisabeth Moss" pelas premiações que já passou.


8º - Chega em um momento social importante

A série chegou antes da eleição de Trump nos Estados Unidos, mas o impacto da série na realidade é inevitável. O uniforme das aias em Gilead já virou roupa oficial em movimentos feministas, a exemplo das mulheres em protesto no Globo de Ouro

9º - Mostra a força das mulheres unidas

Com o decorrer da primeira temporada e o amadurecimento de June como Offred em busca de um fim de Gilead é visível que as aias não conseguirão a liberdade sem união. O próprio regimento Gilead impede a comunicação entre as aias a não ser as saudações oficiais. Isso mostra que temem sim uma organização das mulheres presas em Gilead.

10º - Roteiro

O roteiro de The Handmaid's Tale é um caso a parte, Bruce Miller, que planeja 10 temporadas de The Handmaid's Tale, soube fazer as adaptações necessárias do livro para que a série tivesse o impacto que teve. O show não segue uma linearidade, mas sim, June (agora Offred) em suas horas no quarto escuro lembra de seus tempo antes do regime Gilead. 

11º - Fotografia

O visual cinematográfico produzido por Reed Morano (ganhadora do Emmy) na direção dos três primeiros episódios realmente surpreende. Com tons escuros e o foco sempre no rosto triste das aias tem um grande impacto no espectador (já falamos sobre isso neste link).   

12º - Choca a cada minuto

As cenas realmente chocam a qualquer um, a cada atrocidade de Gilead cometida às mulheres queremos literalmente entrar na série e tirar todas as Handmaid's de lá. A segunda temporada promete chocar mais ainda com As Colônias, lugares para onde mulheres desobedientes e inférteis são levadas para morte. 

13º - Drama sendo um verdadeiro drama

O drama criado por Margaret Atwood é realmente um drama, o que as aias e outras mulheres vivem em Gilead é um drama em que depois de tudo o que é sofrido, elas precisam encontrar forças para continuar e tentar um futuro melhor.

14º - Desconforto necessário

O desconforto que The Handmaid's Tale causa é necessário. Em momentos que o ódio e a violência prevalessem, cenas impactantes na cara do telespectador são necessárias para entender que caminho queremos tomar.

15º - Nos prepara para um possível futuro

O futuro distópico de Gilead é realmente próximo, com o momento delicado em que se vive no mundo o drama das aias está mais perto do que você imagina.

Veja o trailer da segunda temporada: